História da Cidade

ASPECTOS HISTÓRICOS

Quando os portugueses aportaram na Bahia viviam no território onde hoje esta situado o Município de Catu, os aguerridos Patachós e Tupiniquins, que mais tarde imigraram para os sertões, fugindo á penetração dos colonos portugueses.

Até 1782, são imprecisas e vagas as notícias históricas. A área onde foi edificada a cidade de Catu integrava as terras das sesmarias do conde da Ponte, para onde afluiu grande número de colonos.

Coube à igreja católica dar o primeiro passo para a fundação da freguesia de Santana do Catu abrangendo a vastidão daquelas terras.

Assim, o então 12.° Arcebispo da Bahia, Dom Antônio Correia, em 1787, fundou aquela freguesia. Quase meio século depois, isto é, a 23 de julho de 1830, reuniram-se na mesma, em casa do visitador, Padre João Nepomuceno Moreira de Pinho os vigários de Santana do Catu e o de Alagoinhas, para acertarem a demarcação dos limites de suas freguesias e chegaram a tal acordo. Essas divisas foram reconhecidas a 26 de junho de 1863 pelo presidente da Província, Dr. José Bonifácio Vasconcelos de Azambuja. O Município de Santana do Catu surgiu a 26 de junho de 1868.

FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA

Em virtude da Lei provincial n.° 1.058, de 26 de junho de 1868, criou-se o Município com a denominação de Santana do Catu, com território desmembrado da então denominada Vila de São Francisco, ocorrendo sua instalação a 6 de março de 1877.

Na divisão administrativa do Brasil, de 1911, o Município compunha-se dos distritos de Santana do Catu (sede), Pojuca e São Miguel, perdendo o segundo pela Lei estadual n.° 979, de 29 de julho de 1913, quando elevado a categoria de Município. Santana de Catu teve o nome simplificado pelo Decreto estadual número 7.455, de 23 de junho de 1931, ratificado pelo de número 7.479, de 8 de julho do mesmo ano. Foi elevado à categoria de Cidade em 30 de março de 1938.

Desde o Decreto estadual n.° 11.089, de 30 de novembro de 1938, que o Município é formado de 3 distritos: Catu (sede), Bela Flor (ex-São Miguel) e Sítio Novo. É sede de Comarca desde 29 de maio de 1966. quando foi instalada.

CENSO DEMOGRÁFICO

Área da unidade territorial (km²): 416,216
População 2010: 51.077
População estimada 2014: 55.380
Densidade demográfica (hab/km²): 122,72

Homens: 24.816 homens
Mulheres: 26.261 mulheres

População residente rural: 8.322 pessoas
População residente urbana: 42.755 pessoas

Código do Município: 2907509
Gentílico: catuense

Fonte: IBGE

 

Catu em 1893, na voz do viajante estrangeiro Francisco Viana

“Situada  a  margem  direita  do  rio  de  mesmo  nome,  afluente  Pojuca,  noventa  e  dois quilômetros da Estrada de Ferro da Bahia ao São Francisco, trinta distante da Mata e cidade  de  Alagoinhas,  de  baixa  e  irregular  edificação  de  casas  terras  caiadas  e envidraçadas e alguns sobrados, que formam cinco ruas subindo para um alto de praças e duas praças, a da Matriz no alto, onde se acham a igreja paroquial de Sant’Anna e a casa do Conselho em estado pouco lisonjeiro, e a do Comércio em que está construído um barracão onde tem lugar as feiras semanais, e uma casa enfim de construção destinada para talhos de carnes verdes. Além da igreja Matriz, única da vila, há mais no município capela nos arraiais de Pojuca,, S. Novo e S. Miguel. Há cemitério em posição higiênica, com capela e duas escolas, das quais há mais sete no resto do município, a saber: três na Pojuca, duas no Sitio Novo, uma em S. Miguel e uma  na Fazenda do Pau Lavrado. O comércio é pequeno e se desenvolve nos dias de feira, tendo suas relações com a capital, Santo Amaro e Purificação. Além das da vila, há feiras nos citados arraiais da Pojuca e São Miguel.. Os terrenos são de massapê e por isso  ocupado por muitos engenhos. Os habitantes,  pois,  ocupam-se  na  lavoura  de  canas  e  alguns  criam.  Além  de  alguns engenhos que ainda trabalham, e dos quais um tem alambiques, há no arraial de Pojuca, distante três quilômetros dele, uma fabrica central. Este arraial é ponto de entroncamento das  linhas  telegráficas.  O  município  é  bem  regado.  A  vila  nasceu  de  um  povoado formado  em  terras  da  sesmaria  da  Ponte.  Em  1796  foi capela  elevada  á  categoria  de freguesia. A vila é criação da lei 1.058 de 26 de junho de 1968, instalada, porém, a 7 de maio de 1877, desmembrada da vila de São Francisco.”

(VIANNA, Francisco Vicente. Memória Sobre o Estado da Bahia. Diário da Bahia, 1893. p. 503)

Câmara Municipal de Catu
Praça Lourenço Olivieri -sn
Catu- Ba - CEP: 48110-000

Tel: (71) 3641-3336
Fax:(71) 3641-9481
email: camaracatu@gmail.com

Criação desenvolvimento sites aplicativos